domingo, 13 de agosto de 2017

Administração, ética e resultados

Sérgio Dal Sasso


Sérgio Dal Sasso, gestão de negócios, consultor e palestrante,  www.sergiodalsasso.com.br

Do jeito que a causa publica está bem representada, to pensando em ficar um pouco mais leve com as teorias da administração, substituindo-as por um MBA pratico voltado a bandidagem e seus meios facilitadores para uma aposentadoria plena e ainda melhor, antecipada.
Passo uma vida tentando educar saudavelmente profissionais e empresas, mas a cada dia vai ficando mais complicado, pois esses meninos da praça da Sé persistem com a exposição de fotos nas primeiras paginas da mídia, ocupando espaços de coisas e causas que podiam ser mais produtivas. 

Mas tudo bem, cada um tem sua missão, e de certo, o que hoje é tupiniquim, amanhã será incorporado por uma necessidade de sobrevivência real, somada com a obrigatoriedade de uma gestão de suporte ao mercado, e não o contrario. 

Nunca devemos esquecer que o que fazemos para viver depende desde o inicio, do ser bom para garantir durabilidade, pois mesmo fazendo certo já é muito difícil acertar caminhos que garantam a capacidade de renovação diante da complexidade evolutiva, da adaptação às leis que regem os mercados, suas exigências e diversidades de opções. 

Temos como opção de vida, pular lógicas para antecipar resultados, mas nunca podemos esquecer que existe muita afinidade entre riscos e rentabilidade. Nos limites do resultado podemos traficar cocaína ou investir na poupança, a opção é de cada um, assim como o tributo a ser carregado pelo peso da consciência, pois a ética é o equilíbrio que conforta o sono dos justos, possibilitando que os atos alimentem a admiração que plantamos para estabelecer famílias.

A garantia de uma gestão saudável de muito supera as intenções das missões e valores pretendidos. Dependem de uma formação com fundo idealista acima do materialista, aonde os propósitos se confundem com o amor e repatriação de possibilidades aos próximos para que continuem próximos.
 

Nenhum comentário: